Como as preocupações do dia a dia podem interferir na sua perfomance

Somos seres humanos e inteligentes. O simples fato de raciocinar criticamente acerca de um assunto nos difere dos outros seres que compartilham o planeta com a gente. No entanto, às vezes, para um lutador, pensar demais pode atrapalhar o treino e quiçá a sua luta.

Parece um pouco estranho falar que pensar demais atrapalha, uma vez que sabemos que as melhores decisões advêm de situações as quais pensamos antes de agir. O impulso pode ser ruim, mas também pode ser bom. Eu diria que o equilíbrio para o lutador é a base de uma carreira vitoriosa. Muitos deles, inclusive, usam técnicas de meditação para equilibrarem os sentimentos e os pensamentos.

No imaginário popular, podemos comparar com aquele anjinho mau e o bom que ficam em cada orelha nos dizendo o que devemos fazer e o que não devemos. A questão é que quando damos ouvido demais para qualquer um destes pensamentos, podemos desviar dos nossos objetivos. Não é à toa que um psicólogo ajuda muito na equipe multidisciplinar do lutador, pois ele também vai te ajudar a ‘deixar de pensar demais’ nas horas que são importantes que a sua mente fique vazia para se concentrar em apenas um objetivo: o de vencer.

Todos nós temos problemas, tarefas, agenda e tudo mais. Tem dias que não estamos nos sentindo bem, temos uma discussão com um amigo querido, com um familiar. Todos nós somos feitos de carne e osso e muito se engana quem acha que o lutador não passa pelos mesmos problemas que outras pessoas passam. Temos que pagar contas, temos que cuidar do nosso casamento, dos filhos e temos um emprego, que por acaso é o de lutar, mas invariavelmente iremos levar ao nosso trabalho também os nossos problemas porque o nosso cérebro simplesmente não desliga quando queremos e bem entendemos.

Isto é um contra que pode nos prejudicar. Os pensamentos ruins, as atribulações do dia a dia, quando não canalizadas em energia para melhorarmos a nossa perfomance, podem nos prejudicar. Você pode acreditar ou não, mas se estivermos desconcentrados no octógono e nosso pensamento nos sabotar durante uma luta, certamente algo ruim vai acontecer.

O que quero dizer com isso é que cuidar da saúde mental é imprescindível para o lutador, pois ele precisa saber perder, saber lidar com suas emoções dentro e fora do tatame, precisa entender que o seu trabalho é com o seu corpo e que o treino é o que vai lapidar a sua atuação, portanto, até o equilíbrio com os treinos é importante. Saber se respeitar é fundamental, até mesmo na hora de dizer não porque está lesionado e não quer forçar uma barra que pode piorar mais para frente ou quando a preguiça está querendo tomar conta e você ter que ser mais forte que a sua melhor desculpa.

Ou seja, quanto menos você pensar no mundo a sua volta quando os seus pés tocam o tatame, melhor. Não é deixar de lado, mas deixar fora do seu local de trabalho aquilo que está te perturbando para que você saiba escutar os seus treinadores, as recomendações da sua equipe multidisciplinar, etc. Quando eu entro no tatame, faço o ritual de comprometimento ao tatame, limpo a mente e deixo todos os pensamentos ruins e preocupadores fora do tatame, pois estes pensamentos são os que geram desatenção e estresse. Este ritual me ajuda a estabelecer o foco real no que estou fazendo e esta é uma dica para você que luta também colocar em prática.

Limpar a mente totalmente para receber as informações necessárias para progredir. Logo, dentro deste contexto parar de pensar demais vai ser bom para a sua vida como um lutador.

administrador